Proposta e aplicação de atividade de aprendizagem de ecologia nas dependências de instituições de ensino como alternativa de educação formal fora da sala de aula

Tatiana Docile, Paulo Andrade, Priscila Almeida

Resumo


A utilização de ambientes fora de sala de aula com a finalidade de desenvolver aprendizados é uma prática pouco explorada como estratégia de ensino-aprendizagem na educação formal. Portanto, este artigo propõe realizar uma atividade nas dependências da instituição de ensino sobre o conhecimento em relação a alguns temas da disciplina de Ecologia ministrada para licenciandos em ciências biológicas, no intuito de diminuir essas dificuldades no aprendizado do ensino de ciências. Esta pesquisa apresentou abordagem qualitativa, do tipo exploratória, devido a aproximação com da realidade investigada com o objeto de estudo. A atividade foi desenvolvida para a turma do quinto período do curso de Ciências Biológicas da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Duque de Caxias –FEUDUC localizada no bairro de Gramacho, no município de Duque de Caxias, Rio de Janeiro, Brasil. Foi elaborado um questionário de atividades práticas, que abrange o estudo do método científico na prática e a identificação dos conceitos básicos de ecologia aprendidos em sala de aula. Os grupos fizeram esquemas, desenhos, reflexões e discussões. A aplicação do instrumento foi realizada no mês de Abril de 2016. A atividade gerou uma entusiasmo e interesse na turma.           Foi vivenciado alguns desafios na atividade como por exemplo a duração extensa de tempo da prática e ocorreu também um pouco de dispersão dos estudantes por estarem realizando em local aberto e outros colegas de outros períodos paravam para perguntar o que estavam fazendo no canteiro. Portanto, atividades fora da sala de aula, permite um aprendizado diferenciado, criativo e envolvente. É um método viável que pode ser utilizado pelo professor que podem auxiliá-lo no ensino promovendo inovação, autonomia e curiosidade entre os estudantes.


Texto completo:

PDF

Referências


AMORIM, G.C.C; CASTRO, A. M. N; SANTOS, J. M. C. T. Educação Popular: diálogo com as teorias de Freinet e Freire. Quaestio: Revista de Estudos de Educação, v.2, p. 1-8, 2012.

BOLEIZ JUNIOR, Técnicas de Freinet no ensino superior: a construção de uma outra educação é possível. Revista Interncional de Formação de Professores. Itapetininga, v. 4, n.4, p. 53-78, out./dez., 2019.

PIAGET, J. Psicologia e pedagogia. Trad. Lindoso DA, Ribeiro da Silva RM. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1976.

ARANTES, V. A. Educação formal e não formal. 2008.

FERNANDES, R. S. Educação Não-Formal – Contextos, percursos e sujeitos. Campinas: Unicamp/CMU, Editora Setembro. 2005.

FREIRE P. (1996). Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra.

GIL, A. C. (2021). Como elaborar projetos de pesquisa. 6 ed. São Paulo: Atlas. 173 p.

MINAYO, M. C. S. (2019). O desafio da pesquisa social. In: Minayo, M. C. S., Deslandes, S. F., & Gomes, R. Pesquisa social: teoria, método e criatividade. Petrópolis, RJ: Vozes. 95 p.

LIBÂNEO, J. C. Didática. São Paulo: Cortez, 1994.

Ricklefs, R. & Relyea, R. (2018) A Economia da Natureza. Revisão técnica - Cecília Bueno; Tradução Ana Cláudia de Macêdo Vieira ... [et al.]. – 7. ed. – [Reimpr.]. – Rio de Janeiro: Guanabara Koogan.

SANCHES, R. C. F. Freinet no contexto da educação contemporânea e uma experiência com educação de adultos em Marília. Dissertação (Mestre em educação) - Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Filosofia e Ciências. Marília, p. 180. 1998.

SAVIANI, D. História das Ideias pedagógicas no Brasil. Campinas: Autores Associados, 2019.




DOI: https://doi.org/10.18571/acbm.209

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 Acta Biomedica Brasiliensia

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Compartilhar igual 4.0 Internacional.