Olhar do enfermeiro para gestantes com anemia

Letícia Santos da Costa, Pamela de Assis Pereira, Maria de Fátima Rocha Pinto, Valquiria Jorge Sepp, Flávio Vaz Machado, Patricia Nunes Costa Reis, Marise Ramos de Souza, Alexis Couto Aragão, Ilda Cecília Moreira da Silva

Resumo


A gestação é um momento de diversas modificações no corpo da mulher, principalmente uma adaptação fisiológica com o binômio mãe e feto e o preparo do corpo para o parto. Entre algumas dessas alterações, há um aumento significativo no depósito de ferro, onde é reduzido durante a gravidez em decorrência de uma maior demanda metabólica para poder suprir o aumento da hemoglobina circulante e o desenvolvimento fetal. O discurso de enfermeiros sobre a anemia em gestantes no pré-natal de baixo risco é o objeto deste estudo. O objetivo deste artigo é descrever o entendimento de enfermeiros sobre a anemia em gestantes no Pré-natal de baixo risco. O interesse pelo tema surgiu a partir de dados do Ministério da Saúde que afirma: a anemia pode acometer a mulher em todas as fases de sua vida. A metodologia baseou-se foi pesquisa de campo, descritiva e qualitativa, realizada em unidades com a Estratégia Saúde da Família. Aplicou-se um questionário com perguntas abertas. Os dados foram analisados e categorizados evidenciando quatro categorias de análise; identificou-se, por meio dos achados desta pesquisa, que enfermeiros entendem a anemia como um importante agravo na gestação e que o acolhimento faz toda diferença na prevenção e tratamento da anemia na gestação. Concluiu-se, por meio do estudo, que é um fator relevante realizar orientações nutricionais como fontes alimentares de ferro e formas de potencializar seu aproveitamento para minimizar os riscos de anemia.

Palavras-chave: Atenção Básica, Gestação; Anemia; Enfermagem.


Texto completo:

PDF

Referências


BACKES, D.S. et al. O papel profissional do enfermeiro no Sistema Único de Saúde: da saúde comunitária à estratégia de saúde da família. Ciência & Saúde Coletiva, 17(1):223-230, 2012. Disponível em: . Acesso em: 10 de Jan. 2021.

BORTOLINI, G. A.; FISCHER, Mauro. Orientação nutricional do paciente com deficiência de ferro. Rev. Bras. Hematol. Hemoter, São Paulo, v. 32, supl. 2, p. 105-113, junho de 2010.Disponível em: . Acesso em: 10 de Jan. 2021.

BRASIL. Ministério da Saúde. Estratégia de Saúde da Família (ESF), 2013. Disponível em: Acesso em: 10 de Jan. 2021.

BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria nº 2436/GM/MS, de 21 de setembro de 2017. Aprova a Política Nacional de Atenção Básica, estabelecendo a revisão de diretrizes para a organização da Atenção Básica, no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS), 2017. Disponível em: Acesso em: 15 de Jan. 2021.

BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria SAS/MS nº 1.247, de 10 de novembro de 2014. Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas na Anemia por Deficiência de Ferro, 2014. Disponível em: Acesso em: 18 de Jan. 2021.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Atenção ao pré-natal de baixo risco. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Brasília : Editora do Ministério da Saúde, 2012. Disponível em: Acesso em: 10 de Jan. 2021.

CORTEZ, E. A. et al. Aspectos éticos e implicações jurídicas do enfermeiro frente ao preparo e administração de soros e antibióticos: revisão de literatura. Rev. enferm. UFPE on line, p. 715-722, 2009a. Disponível em: . Acesso em: 10 de Jan. 2021.

CORTEZ, E. A. et al. Reflexões sobre a assistência de enfermagem durante o processo de morte/morrer. Rev. enferm. UFPE on line, p. 1159-1168, 2009b. Disponível em: . Acesso em: 10 de Jan. 2021.

CORTEZ, E. A. et al. Iatrogenia no cuidado da enfermagem: implicações éticas e penais. Revista de Pesquisa Cuidado é Fundamental Online, v. 1, n. 1, 2009c. Disponível em: . 10 de Jan. 2021.

COSTA, L. C. R. et al. Vivência de enfermeiros em parada cardiorrespiratória simulada. Rev. enferm. UFPE on line, p. [1-6], 2019. Disponível em: . Acesso em: 10 de Jan. 2021.

DAGFAL, M. R. B.; ALVES, F. A.; DA SILVA, I. C. M. O Ensino transversal da Bioética no curso de Graduação em Medicina na era pós-desvendamento do Projeto Genoma Humano. Revista Práxis, v. 2, n. 3, 2017. Disponível em: . Acesso em: 10 de Jan. 2021.

DA SILVA, J. M. B. et al. Coronavírus e os protocolos de desinfecção e reprocessamento de artigos hospitalares. Research, Society and Development, v. 9, n. 9, p. e29996187-e29996187, 2020. Disponível em: https://doi.org/10.33448/rsd-v9i9.6187>. Acesso em: 10 de Jan. 2021.

DA SILVA, M. R. M. et al. Reflexões sobre a responsabilidade do profissional de enfermagem no processo de aplicação do Bacilo de Calmette e Guérin: Revisão de literatura. Revista de Pesquisa Cuidado é Fundamental Online, v. 1, n. 2, p. 178-190, 2009. Disponível em: . Acesso em: 10 de Jan. 2021.

DA SILVA, R. M. et al. Inserção de enfermeiras obstétricas no atendimento ao parto: percepção da equipe de enfermagem. Revista Interdisciplinar de Estudos em Saúde, p. 293-302, 2018. Disponível em: . Acesso em: 10 de Jan. 2021.

DE SOUZA TAVARES, A. C. et al. Tomada de decisão em estratégia de saúde da família. Acta Scientiae et Technicae, v. 8, n. 2, 2021. Disponível em: . Acesso em: 21 de Jan. 2021.

FIGUEIREDO, N. M. A.; SILVA, I. C. M.; PORTO, I. S. 1993. Ensino e prazer. Rev. enferm. UERJ, p. 88-91. Disponível em: . Acesso em: 10 de Jan. 2021.

GOMES, M. L. B.; BAPTISTA, S. S.; SILVA, I. C. M. A luta pela politizaçäo das enfermeiras: sindicalismo no Rio de Janeiro 1978-1984. In: A luta pela politizaçäo das enfermeiras: sindicalismo no Rio de Janeiro 1978-1984. 1999. p. 143-143. Disponível em: . Acesso em: 10 de Jan. 2021.

LOUREIRO, L. H. et al. Tecnologia na Atenção Primária: uma estratégia de apoio a gestão. Revista Práxis, v. 9, n. 18, 2017. Disponível em: . Acesso em: 10 de Jan. 2021.

MACHADO, Flávio Vaz et al. Análise do Deep Learning em cuidados de saúde. Rev. enferm. UFPE on line, p. 1-7, 2019. Disponível em . Acesso em: 10 de Jan. 2021.

NEUMAN, F. et al. Liderança: o desafio das enfermeiras recém-formadas. Revista de Pesquisa Cuidado é Fundamental Online, v. 1, n. 1, p. 74-84, 2009. Disponível em: . Acesso em: 20 de Jan. de 2021.

NEVES, L. O. et al. Revisões Sistemáticas de Literatura: Parte 1. PARC Pesquisa em Arquitetura e Construção, Campinas, V.8, n.3, 141-143, 2018. Disponível em: . Acesso em: 20 de Dez. 2020.

OLIVEIRA, M. P, SILVA, I. C. M.; ALBUQUERQUE, G. G. Pesquisa científica no curso de Enfermagem: revisão integrativa. Revista Práxis, v. 8, n. 16, 2016. Disponível em: . Acesso em: 20 de Dez. de 2020.

SOUZA, MCT et al. 2019. A Importância do Vínculo Profissional Atribuída por Gestante. Id on Line Rev.Mult. Psic, vol.13, n.46, p. 938-945. Disponível em: . Acesso em: 27 de Dez. de 2020

COORDENAÇÃO GERAL da POLÍTICA de ALIMENTAÇÃO e NUTRIÇÃO. Programa Nacional de Suplementação de Ferro. Disponível em: . Acesso em: 20 de Jan. de 2021.

CASSIMIRO, G. N.; MATA, J. A. L. Adesão ao uso de sulfato ferroso por gestantes atendidas no Sistema Único de Saúde. Rev enferm UFPE online., Recife, 11(Supl. 5):2156-67, 2017. Disponível em: . Acesso em: 20 de Jan. de 2021.

VIEIRA, S. M. et al. Percepção das Puérperas Sobre a Assistência Prestada pela Equipe de Saúde no Pré-Natal. V. 20 (Esp); p. 255-262. 2011. Disponível em: . Acesso em: 20 de Jan. de 2021.




DOI: https://doi.org/10.18571/acbm205

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 Acta Biomedica Brasiliensia

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Compartilhar igual 4.0 Internacional.