Levantamento da suscetibilidade de Escherichia coli em infecções do trato urinário no laboratório São Geraldo em Varginha, Minas Gerais

Daniela Rodrigues Costa, Luciane Tavares da Cunha

Resumo


 

A infecção do trato urinário (ITU) é caracterizada pela invasão dos tecidos e colonização de bactérias do sistema urinário. A colonização das vias urinárias podem ser pelas vias baixas e superiores, que são as cistites e pielonefrites. Podem apresentar sintomas ou ser assintomáticas. Os sintomas comuns são febres, micção frequente, disúria em cistites; calafrios, dor intensa e febre são causadas pela pielonefrite. O objetivo deste trabalho foi analisar em culturas de urinas a prevalência da Escherichia coli e seu perfil de suscetibilidade de pacientes do sexo feminino atendidas pelo laboratório São Geraldo. O estudo foi realizado em um laboratório particular na cidade de Varginha–MG. Foram analisados 880 prontuários de pacientes do sexo feminino com faixa etária de 20 a 75 anos em um período de janeiro a dezembro. Dos prontuários analisados 272 foram culturas positivas representando 31%. A média das idades foi de 47,71 anos com desvio padrão de 15,92. As pacientes com idades entre 61 a 75 anos (30%) foram as que mais apresentaram ITU, e depois paciente com faixa etária entre 20 a 30 anos (20%). O micro-organismo mais prevalente foi a Escherichia coli com 87,5%. A Escherichia coli apresentou maior resistência aos antimicrobianos ciprofloxacina, levofloxacina e norfloxacina com pouco mais de 80%. Conclui-se que é importante o uso controlado de antibióticos, pois a resistência microbiana é cada vez maior e, como consequência, dificulta o tratamento das infecções do sistema urinário pelos profissionais de saúde.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.18571/acbm.193

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Acta Biomedica Brasiliensia

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Compartilhar igual 4.0 Internacional.