DOENÇA DE MONDOR EM RARA LOCALIZAÇÃO: VEIA EPIGÁSTRICA SUPERFICIAL DIREITA

Leonardo Barros PICCININI, Emanuela de Oliveira GALLO, Antônio Cascelli VAZ FILHO, Daniel Fernandes GUIMARÃES, Ricardo Turra PERRONE, Jaffer Tardim CARDERELLI, Alexandre Funes BASTOS, Eugênio Carlos de Almeida TINOCO

Resumo


A Doença de Mondor é uma rara tromboflebite de veias do subcutâneo da parade toraco-abdominal antero-lateral, com maior prevalência no sexo feminino com idade média de 30 a 60 anos, idiopática e autolimitada, podendo estar associada a coagulopatias, traumas e neoplasia de mama. Objetivo: Relatar o caso de um paciente de 38 anos, com Doença de Mondor em veia epigástrica superficial, diagnosticado pelo Serviço de Cirurgia Vascular e Endovascular do Hospital São José do Avai, Itaperuna, RJ, em março de 2016. Conclusão: Paciente foi tratado conservadoramente e após duas semanas de acompanhamento apresentou recuperação favorável com melhora significativa dos sintomas.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18571/acbm.165

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Acta Biomedica Brasiliensia

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.