ATIVIDADE ANTITUMORAL IN VITRO DE Prosopis Juliflora FRENTE A CÉLULAS DE CÂNCER DE MAMA E CÂNCER DE OVÁRIO

Ana Carla Ferreira COSTA, Giani Maria CAVALCANTE

Resumo


O câncer é a segunda principal causa de morte no mundo e entre os muitos avanços recentes na quimioterapia contra a doença, os produtos naturais oriundos de plantas têm desempenhado um papel importante. O objetivo deste estudo foi investigar a atividade antitumoral de Prosopis juliflora contra células tumorais humanas MDA-MB-231 (tumor de mama) e SKOV-3 (tumor de ovário) para buscar novos medicamentos derivados de fontes naturais. Testes in vitro foram conduzidos com os extratos brutos de folhas e de casca de caule frente as linhagens de células tumorais MDA-MB-231 e SKOV-3 através do teste de citotoxicidade utilizando MTT (3- (4,5-dimetiazol-2il) 2,5-difenil tetrazólio de brometo) através da monitorização após 24, 48 e 72 h de exposição das células tumorais e não tumorais a diferentes concentrações dos extratos (100; 50; 25; 12,5 μg / mL). Os testes de citotoxicidade também foram realizados contra células não tumorais (fibroblastos). O extrato de casca de caule de P. juliflora inibiu a proliferação de células MDA-MB-231 (28,9%) e não inibiu a proliferação de linhas de células SKOV-3. Este extrato apresentou baixa toxicidade frente as células de fibroblasto. Em contraste, o extrato de folhas de P. juliflora não foi ativo em nenhuma linhagem celular testada. O estudo químico para extração e isolamento de compostos ativos oriundo do extrato da casca de caule é recomendado para ensaios in vitro desses compostos para investigar a atividade antitumoral.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18571/acbm.161

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Acta Biomedica Brasiliensia

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.