ANÁLISE DO CONHECIMENTO ETNO-HERPETOLÓGICO DOS ESTUDANTES NO MUNICÍPIO DE SALINAS, MINAS GERAIS, BRASIL

Maria Aline Silva DIAS, Nathália Bastos LIMA, Caio Antônio FIGUEIREDO-DE-ANDRADE

Resumo


Apesar da grande diversidade da herpetofauna no planeta, muitas pessoas não compreendem sua importância, e, devido a crenças populares e estórias, acabam tendo uma concepção equivocada destes animais, resultando em maus tratos e morte dos mesmos. Este trabalho teve o intuito de investigar o grau de conhecimento da população estudantil salinense (nos Ensinos Fundamental e Médio) sobre anfíbios e répteis, através da aplicação de um questionário semiestruturado com perguntas abertas e fechadas. Foi possível observar que muitos discentes souberam diferenciar corretamente os animais pertencentes aos grupos dos répteis e anfíbios, mas é possível observar que existe um percentual de estudantes que acredita em certas crenças populares envolvendo esses animais. Das estórias apresentadas, a que mostrou maior credibilidade entre os estudantes do Ensino Fundamental foi o de que se um anfíbio urinar nos olhos de uma pessoa, esta ficaria cega. Já a crença de que cada anel do chocalho da cascavel corresponde a um ano de vida da cobra, foi a que apresentou maior difusão entre os alunos do Ensino Médio. Através deste trabalho entende-se que grande parte dos alunos apresenta uma visão negativa acerca destes grupos de animais, o que faz com que o real entendimento da importância destes para a natureza e para o homem fique comprometido. Fazem-se necessárias mais investigações sobre o tema, para que se possam futuramente desenvolver ações preventivas e educativas para a preservação destes seres vivos.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18571/acbm.154

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Acta Biomedica Brasiliensia

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.