EFEITO DO ULTRASSOM TERAPÊUTICO NA LIBERAÇÃO, PERMEAÇÃO E RETENÇÃO DE ÁCIDO KÓJICO EM SISTEMA DE DIFUSÃO VERTICAL

João Alberto TASSINARY, Luana Nicolau ROGÉRI, Bárbara SCHMITT, Fernanda MARDER, Giovana SINIGAGLIA, Jairo HERBELE, Maurício HILGEMANN, Simone STÜLP

Resumo


A administração transdérmica de ativos terapêuticos oferece muitas vantagens sobre outras vias de administração, dentre as quais destacam-se o potencial de eficácia superior e efeitos colaterais mínimos. No entanto, o sistema tegumentar é caracterizado como barreira praticamente impermeável. Neste sentido, pesquisas tem se voltado a buscar recursos que visam ampliar a permeação de substâncias sobre a pele, como a fonoforese. Esta técnica baseia-se na associação de medicamento ou cosmético ao ultrassom terapêutico. Entre os princípios farmacologicamente ativos com potencial de associação à técnica de fonoforese destaca-se o ácido kójico, que é amplamente utilizado na Biomedicina Estética, principalmente por sua ação antioxidante e hipopigmentante. Neste sentido, o objetivo deste estudo foi investigar a liberação e permeação do gel contendo ácido kójico 10% frente à aplicação de fonoforese in vitro. O estudo de liberação e permeação do ácido kójico foi realizado a partir de uma célula de difusão vertical tipo Franz, com membrana de acetato de celulose e biomembrana de pele suína. Foram realizadas análises com e sem aplicação de ultrassom terapêutico, e os resultados mostraram que a técnica de fonoforese amplia em 19% a liberação do ácido kójico para o meio receptor, bem como, em 50% a retenção do ativo no estrato córneo e em 121% a sua permeação em 20 minutos de aplicação.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18571/acbm.152

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Acta Biomedica Brasiliensia

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.