PREVALÊNCIA DE ENTEROPARASITAS NA REGIÃO METROPOLITANA DE FORTALEZA, CEARÁ

Marcos Adelino ALMEIDA FILHO, Josiany Costa de SOUZA, Charles Ielpo MOURÃO, Lydia Dayanne Maia PANTOJA

Resumo


As enteroparasitoses são problemas de saúde pública associadas às condições socioeconômicas, principalmente pela falta de conhecimento de bons hábitos sanitários da população. Nesse ínterim, o presente trabalho objetivou a analisar prevalência de enteroparasitas em amostras fecais provenientes de pacientes da rede pública e privada da Região Metropolitana de Fortaleza – CE. A pesquisa se caracteriza em um estudo transversal, conduzido no período de abril/2014 a novembro/2016, com indivíduos provenientes da área metropolitana de Fortaleza, de ambos os sexos e diferentes faixas etárias. Do total de 6.596 amostras fecais analisadas de pacientes, 840 (12,73%) apresentaram-se positivas para diversas formas parasitárias, prevalecendo os protozoários, as espécies Endolimax nana (55,14%), Entamoeba coli (21,33%) e Giardia lamblia (13,95%) foram as mais frequentes. Seguido de nematelmintos como Ascaris lumbricoides (1,32%), Trichocephalus trichiurus (0,66%), Enterobius vermiculares (0,33%) e os platelmintos foram Hymenolepis nana (0,66%), Fasciola hepatica (0,11%) e Taenia sp. (0,11%). O número de casos positivos analisados nesta pesquisa, induz à necessidade da elaboração de políticas públicas, além de programas de educação e conscientização, principalmente para as populações carentes, com o intuito de amenizar a incidência e os impactos causados por enteroparasitoses. 


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18571/acbm.143

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Acta Biomedica Brasiliensia

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.