USO DE METILFENIDATO EM CRIANÇAS COM TRANSTORNO DE DÉFICIT DE ATENÇÃO E HIPERATIVIDADE EM UM MUNICÍPIO DO INTERIOR DO PARANÁ, BRASIL

Flavia BARBOSA, Leyde Daiane de PEDER, Claudinei Mesquita da SILVA

Resumo


O presente estudo teve por objetivo analisar o uso do medicamento Metilfenidato em crianças diagnosticadas com Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH), residentes no município de Nova Aurora, Paraná, Brasil. Para tanto, 26 crianças com a patologia foram selecionadas aleatoriamente, e seus dados foram obtidos por questionário pré-elaborado, aplicado aos pais ou responsáveis e aos professores. A maioria (17/65,4%) foi diagnosticada na faixa etária entre 6-8 anos e pertencia ao sexo masculino (22/84,6%). Os principais sinais e sintomas relatados foram: agitação (23/88,5%) e diminuição da concentração (12/46,2%). Em 16 (64,0%) crianças, verificou o aumento da atenção e diminuição da agitação com o uso do Metilfenidato, no entanto, somente 65,4% dos pais ou responsáveis relataram conhecimento do tratamento. Verificou-se que 10 (40,0%) e 8 (32,0%) das crianças apresentaram perda de apetite e dores de cabeça/episódios de ansiedade como principais efeitos colaterais do medicamento, respectivamente e 8 (32,0%) crianças não apresentaram nenhum efeito colateral. Assim, o uso de Metilfenidato em crianças na região estudada, melhorou a relação interpessoal, aumentou a concentração e diminuiu a agressividade, demonstrando a importância do uso do medicamento em crianças com TDAH. Contudo, efeitos colaterais ainda são relatados com o uso da terapia. 


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18571/acbm.108

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Acta Biomedica Brasiliensia

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.